domingo, 21 de março de 2021

Reminiscência

O esquecimento é uma benção. A memória escapa, a imagem recriada é turva, o pretérito é sempre imperfeito. Eu vejo compaixão em tudo isso - como se o mistério que é a vida nos acobertasse da dor de recordar tudo aquilo que fomos e de tudo aquilo que foram para nós. Se você lembrasse, meu velho, não haveria consolo possível para te oferecer. O tempo cura tudo, é verdade. O tempo se encarrega de nos deixar distraídos, enquanto a memória desaprende experiências. A recordação é também uma recriação. Pois que seja. 

Um dia de cada vez, uma lacuna permanente sobrepondo-se a outras. Eu gostaria de esquecer também. Eu gostaria de esquecer isso - assim a imagem ficaria turva para mim também; assim meu descuido seria uma benção. Conquanto eu me recordo. 

Nesse particular, a lucidez suscitou apenas o desgosto. Compreendo hoje que "obliterar" nunca foi um verbo possível para quem o almeja. O tempo permanece impassível; enquanto a distração protege os esquecidos.  

Pois que seja.

Um comentário: