domingo, 7 de abril de 2019

Você

Eu te perdoo por eu te trair
Como Chico
Aceito tuas lágrimas 
Perdão silencioso
Aceito teus desalinhos
Mas sou fiel ao meu desejo
Esqueci de te contar
Das horas que passei sozinho
À tua espera
Das noites que me arrependi
À luz do dia
Por ter lhe estendido a mão
Eu te perdoo por você ter sido tão rasa
E tão triste
Você me amou no exagero
E eu ri do meu desespero
Quando você me perguntou se eu te amava
E eu não soube dizer 
Eu te perdoo por você ter chorado
Tantas vezes que me perdi nos dias
Nos cigarros acesos
Na insônia da madrugada
Quando você não encontrava aconchego em meus braços
Eu te perdoo por eu ter batido a porta na tua cara
Ter te deixado falando sozinha
No acalento da solidão
Você foi poesia 
E eu te perdoo por isso também
Eu te perdoo pelo meu anseio de sair
E rodar exuberante longe de ti
Dos teus vestidos 
Dos teus cabelos
E agora a distância que nos separa é o perdão
Eu te perdoo por ter chegado
E te agradeço por ir.


Nenhum comentário:

Postar um comentário