domingo, 27 de janeiro de 2019

Zen para distraídos, de Monja Coen e Nilo Cruz


Com uma simplicidade que revela a autora, este livro traz explicações sobre o que é o zen e comopodemos incorporá-lo em nosso cotidiano. Em suma, zen é quando, ao meditar-se, o eu observa o próprio eu, percebendo-se, então, interconectado a tudo o que existe.

Essa atividade, aliada a outros ensinamentos budistas, contribuem para uma melhora de vida considerável, ainda mais quando pensamos nos indivíduos que vivem em grandes centros urbanos e que lidam constantemente com distrações vindas de todos os lados. Dos ensinamentos, que vão desde compreender o carma, entender o nirvana até praticar o desapego, o que mais gostei foi sobre lidar com a dor e buscar o amor-próprio.

Não coloque o seu amor apenas naquilo que já se foi. Sua capacidade de amar é sua. Saiba amar a si mesma e se respeitar para poder encontrar outro amor verdadeiro. Abra mão. (Página 192)
Uma leitura tranquila, dessas que valem muitas marcações com post-its e reflexões após encerrar os capítulos. Sugiro para todxs que buscam o autoconhecimento. Quem sabe, incentivadx pela Monja Coen, você não começa a meditar? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário