sábado, 17 de fevereiro de 2018

Vou começar o curso de Pedagogia!


É isso mesmo, leitores queridos! Em 2016, terminei a minha graduação em Letras. Ano passado, depois de algumas experiências que vivi na outra escola em que trabalhei, comecei a considerar a possibilidade de começar uma segunda graduação, dessa vez, em um curso que sempre me atraiu muito: Pedagogia.

Então, sem contar para ninguém - apenas o meu namorado sabia, eu me inscrevi para prestar o vestibular da Fuvest. Imaginem só a minha surpresa quando eu passei para segunda fase? E quando eu passei na segunda chamada?

Fiquei muito feliz, leitores. Por isso estou aqui, para compartilhar com vocês mais uma conquista. 

Ainda nesta semana, vou gravar um vídeo explicando melhor os motivos que me levaram a querer cursar Pedagogia.

Um beijo e bom domingo!

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Como eu inicio as minhas leituras (vídeo)


Oi, leitores!

Tudo bem com vocês?

Hoje eu quero compartilhar com vocês o último vídeo que postei lá no canal. Espero que gostem!

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Três Sombras, de Cyril Pedrosa


Três Sombras não é um livro que deve ser lido rápido, apesar de sua estrutura nos remeter o contrário. Em formato de quadrinhos, somos apresentados a uma família que vive no campo e desfruta de todos os prazeres que a simplicidade pode oferecer.

Porém, num dia qualquer, a família avista três sombras montadas em cavalos surgirem no horizonte. Apesar da distância, Louis e Lise, ficam intrigados com aquela aparição. Por que elas estavam ali?

Com o passar do tempo, Louis se dá conta de que as sombras estão ali para buscar Joachim, filho do casal. Por mais triste que estivesse, Lise entende a situação. Seu marido, contudo, recusa-se a permitir que as sombras levem o seu filho. Então, Louis toma uma atitude arriscada: parte com Joachim para uma viagem sem destino certo, a fim de enganar aquelas figuras enigmáticas.

Durante a jornada, muitos são os personagens e os perigos que os dois irão conhecer, enquanto tentam desesperada e inutilmente escapar da morte.

Como disse no início desta resenha, este não é um livro que deve ser lido rapidamente. O leitor deve atentar-se a cada quadrinho, especialmente aos movimentos e expressões das personagens, tão importantes quanto os diálogos que compõem os balões.

A angústia de Louis quase é palpável e por muitas páginas senti vontade de chorar, lamentando pelo destino que fora traçado para Joachim. A força de Lise, por outro lado, despertou em mim o entendimento que quase sempre fazemos questão de esquecer: a morte faz parte da vida. Por mais que não estejamos prontos para ela, temos que aceitá-la, pois só assim poderemos viver em paz.

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Leitura: Malala, a menina que queria ir para a escola, de Adriana Carranca


Malala Yousafzai é uma das maiores inspirações que tenho.  Desde muito nova, a menina que cresceu no Vale do Swat, no Paquistão, era apaixonada pela escola e pela sua vida. Porém, tudo começa a mudar quando o grupo Talibã invade o Swat e impõe suas regras. 

A partir deste momento, as meninas estavam proibidas de ir à escola somente os meninos poderiam estudar. Inconformada com essa situação, Malala começa a escrever um blog sob o pseudônimo de Gul Makai. A partir de seus relatos publicados no site da BBC, o mundo fica a par das tragédias e do medo que tomou conta do vale. 

Pouco tempo depois, todos ficam sabendo quem era autora do blog e Malala fica muito famosa. Entrevistas e documentários são feitos sobre a menina que queria apenas ter o direito à educação. Porém, essa coragem teve um preço. No dia 9 de outubro de 2012, ela sofre um atentado dentro do ônibus que estava levando ela e outras meninas para casa, após um dia de aula normal (a escola continuou funcionando, mas de forma sigilosa). Todos pensaram que Malala não resistiria, mas mais uma vez ela nos surpreendeu com a sua força de vontade. 

Algum tempo depois, ela receberia o prêmio Nobel da paz, sendo a mais jovem ganhadora.

E foi a história desta menina que Adriana Carranca foi conhecer de perto. Logo depois do atentado, a jornalista viajou para o vale do Swat e conheceu diversas pessoas e lugares que faziam parte do universo de Malala. Era uma missão perigosa, uma vez que a mídia estava proibida de ir até lá, mas Adriana aceitou o desafio e com a ajuda de alguns homens e mulheres do vale, ela recolheu depoimentos e fotografou os cenários pelos quais passou.

Todos esses registros compõem o livro, que apesar de ser infantojuvenil, oferece a qualquer tipo de leitor a oportunidade de se aproximar mais de Malala. A obra ainda contém glossário e ilustrações de Bruna Assis Brasil.






Férias em Salvador


Conhecer a Bahia era um sonho que eu cultivava desde o ensino médio. Eu não sei explicar, mas tudo me encantava: as paisagens, a história e principalmente, os autores que aqui viveram, como Jorge Amado e Vinicius de Moraes. Especialmente o primeiro, pois quando li Capitães da Areia, eu não conseguia parar de pensar como seria se eu caminhasse pelas mesmas ruas que os meninos do trapiche caminharam, qual sentimento eu teria ao olhar o Elevador Lacerda, palco do menino que se transformou trapezista em seus últimos segundos de vida, o Sem-Pernas.

Igreja Nosso Senhor do Bonfim
 


Acarajé / Sorvete de Pitanga e Cajá
Forte de Humaitá

A casa do Rio Vermelho (onde morou Jorge Amado e Zélia Gattai)


Jorge Amado e Zélia Gattai


Diego no Museu da Misericórdia

Museu Naútico

Elevador Lacerda





Por sorte, o Diego também compartilhava do mesmo sonho - por questões diferentes, claro. E assim, quando a oportunidade surgiu, viajamos para Salvador e juntos, realizamos nosso sonho. Aqui, quero dividir com vocês o vídeo que fiz. Espero que vocês gostem.




domingo, 21 de janeiro de 2018

Respondendo os comentários (vídeo)


Oi, leitores! Tudo bem com vocês?

No vídeo de hoje, respondi comentários que vocês deixaram lá no canal. Espero que vocês gostem!


Até o próximo vídeo!